LGPD: como ela pode impactar a estratégia de marketing de sua empresa

Marketing Digital

LGPD: como ela pode impactar a estratégia de marketing de sua empresa

Douglas Mendes
Escrito por Douglas Mendes em 19 de setembro de 2020
Powered by Rock Convert

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que começou a valer na sexta, 18, diz respeito à regulamentação da aquisição, armazenamento e uso de dados pessoais por terceiros.

Adequar-se a ela na estratégia de marketing digital ajuda a transmitir confiança para os clientes, além de melhorar o ranking em mecanismos de busca de forma correta. Por isso, saiba neste artigo como a LGPD pode impactar as ações da sua estratégia de marketing e o que fazer para o site da sua empresa estar de acordo com o que ela exige.

Entenda o que a LGPD resguarda

A lei assegura que pessoas físicas, jurídicas, empresas privadas ou públicas e outros profissionais que recebem remuneração a partir de inscrição (exemplo: seguidor em rede social) gerenciem esses dados de forma a respeitar:

  • a privacidade;
  • a liberdade de expressão, de informação, de comunicação e opinião;
  • a não violação de intimidade, honra e imagem;
  • o exercício da cidadania.

Para isso, é necessário realizar uma adequação nas redes sociais, site e blog empresarial, com o propósito de verificar e corrigir informações armazenadas, mesmo que tenham sido captadas antes da LGPD, revisar condições contratuais e adotar critérios protetivos nos sistemas de relacionamento da empresa.

O não cumprimento da LGPD pode acarretar em improbidade administrativa, em caso de entidades públicas, e aplicação de advertência e multa para empresas privadas.

De que forma a LGPD impacta a minha empresa?

Uma estratégia bem estruturada de marketing digital envolve administrar redes sociais, site, blog, landing pages, automação de e-mails, entre outras ferramentas. O que todos esses meios têm em comum é a necessidade de coletar informações dos usuários para desenvolver uma comunicação mais efetiva e otimizada para mecanismos de buscas (SEO).

Para colher essas informações é importante ter a autorização de forma clara do visitante. A empresa que está captando os dados é responsável por seu gerenciamento, segurança e uso dentro dos parâmetros exigidos pela LGPD, que destaca alguns pontos principais:

  • uso de cookies;
  • políticas de privacidade;
  • formulários de inscrição (como em newsletter ou landing pages, por exemplo);
  • página de contatos;
  • segurança do site;
  • tratamento de informações de menores de idade;
  • condições para impedir a violação de dados.

O que fazer para se regularizar de acordo com a LGPD?

Vamos ver agora como executar e aplicar as boas práticas de coleta e gestão de dados no seu site, blog e demais componentes necessários da estratégia de marketing, de acordo com a LGPD. Para isso, iremos detalhar os tópicos mencionados acima.

Uso de cookies

Cookies são arquivos que os sites usam para captar dados do usuário, que permitam identificar o dispositivo que foi usado para acessar, preferências e comportamentos dessa pessoa online.

Para assegurar o direito à privacidade do usuário, sua empresa precisa informar que o site faz uso dos cookies, explicar o motivo pelo qual o utiliza e deixar claro para o usuário que ele precisa autorizar o seu site a coletar suas informações por meio dessa ferramenta.

Isso pode ser implementado por meio de uma notificação posicionada em alguma parte do site.

Políticas de privacidade

Se o seu site ainda não possui políticas de privacidade, será necessário criá-las conforme as exigências da lei e para refletir os princípios próprios da empresa. Para isso, ela deve conter:

    • Informações da sua empresa;
    • Quais dados do seu usuário serão coletados e utilizados;
    • A finalidade da captação desses dados;
    • Medidas de prevenção que a empresa toma para promover a segurança das informações e inibir acidentes;
    • Explicações de como os cookies funcionam e são usados;
    • Canais disponíveis de atendimento para o usuário entrar em contato com a empresa;
    • Informações sobre como realizar o cancelamento do uso dos dados, caso seja da vontade do usuário, e disponibilizar o acesso ao usuário para que possa rever sempre que quiser.

Caso seu site já possua política de privacidade, é importante revisá-la e readequar o que for necessário para estar de acordo com os requisitos da lei.

Formulários de inscrição

O uso do e-mail marketing, assim como outras ferramentas de compartilhamento de conteúdo a assinantes, é uma prática que pode trazer um excelente retorno sobre investimento e alavancar os resultados da empresa.

Basicamente, essa ação consiste em formar um banco de contatos – seja por meio de uma landing page, assinatura de newsletter ou qualquer outro método de captação – para enviar conteúdo de valor que irá nutrir o relacionamento entre o lead e a marca.

Vale reforçar que, para executar essa estratégia, não é recomendado de maneira alguma comprar listas de contatos, mas sim formular a sua própria. Isso porque é necessário que o seu receptor tenha autorizado a sua empresa a entrar em contato com ele. Para fazer isso de maneira correta:

  • O consentimento deve ser espontâneo;
  • Os campos de coleta de dados não devem ser preenchidos automaticamente;
  • Você deve explicar claramente qual a finalidade desse formulário;
  • Solicitar uma autorização específica para cada objetivo;

Essas práticas são extremamente essenciais, não só para cumprir o que a lei determina, mas também para planejar sua estratégia de forma segmentada (isso permite enviar para cada usuário apenas o que é do interesse dele), criar conteúdos mais assertivos, analisar dados, promover ações para conversão de clientes.

Página de contatos

Se a sua página de contatos disponibiliza um formulário para o usuário falar com a empresa, é necessário deixar bem claro qual a finalidade desses dados que ele irá fornecer nos campos de preenchimento, os direitos que seu visitante tem e como ele pode alterar, acessar ou desabilitar o uso dos dados.

Segurança do site

Incluir certificado de segurança na sua página passa confiança ao seu usuário, protege os dados coletados durante a transmissão.

Essa prática não consta como uma obrigação pela lei, mas é considerada uma boa ferramenta, por preservar as informações pessoais, além de tornar seu site seguro.

Tratamento de informações de menores de idade

É importante rever também a sua estratégia de marketing e coleta de informações, pois comprovar que a autorização do uso de dados foi cedida por um responsável, no caso de menores de idade, é mais difícil.

Nesse caso, dê preferência por oferecer conteúdos que não necessitem de cadastro e coleta de informações, se seu público incluir pessoas de até 18 anos.

Condições para impedir a violação de dados

A empresa é a responsável por assegurar a proteção das informações de seus usuários. Por isso, invista em procedimentos que tenham por finalidade impedir que esses dados sejam violados e usados para fins que não sejam os que foram indicados. Reveja sempre se as medidas utilizadas estão comprometidas e adequadas a garantir a confidencialidade necessária para não gerar dores de cabeça.

Gostou? Conheça nossa política de privacidade clicando aqui. Tem alguma dúvida? Deixe um comentário abaixo!

Agora é com você,

o que você achou deste conteúdo? Nos conte nos comentários.